Streaming derruba preferência por cinema e ajuda a reduzir o consumo de pirataria

Streaming derruba preferência por cinema e ajuda a reduzir o consumo de pirataria

64,7% das pessoas que assinam serviço de streaming preferem assistir filmes por ele a ir ao cinema, e 81,6% afirmam ter reduzido o consumo de conteúdo pirata devido à tecnologia

O surgimento dos serviços de streaming não é um consenso: Alguns acreditam que foi lançado em 1995, outros em 1997 e há ainda quem defenda que foi 1985. O fato é que hoje é uma das tecnologias mais inovadoras em uso na web, possibilitando o fluxo rápido e ininterrupto na transmissão de áudio e/ou vídeo pela internet. E para entender como esse serviço tem influenciado o comportamento dos consumidores, o Alexandria Big Data realizou uma pesquisa com 1596 pessoas de todo o Brasil.

O estudo revelou que o serviço de streaming vem roubando a preferência dos cinéfilos. Enquanto 64,7% das pessoas que assinam o serviço preferem assistir filmes via streaming, apenas 35,3% optam pelo cinema. A liberdade é a principal razão para a escolha: 43,6% afirmam que pela possibilidade de “assistir a hora que quiser”, 42,4% pelo conforto, 32,8% por poder assistir no “local que desejar”, 32,1% pela possibilidade de poder “pausar” e 31,2% pela facilidade em trocar de filme. 30,7% preferem o streaming por ser mais barato.

Já entre os que escolhem cinema, a experiência da sala em geral é o grande diferencial (22,5%), seguido pelo tamanho da tela (16,8%), por possuir lançamentos (15,2%), ser “mais divertido” (13,4%) e ter melhor som (13,3%).

 Outro destaque revelado pela pesquisa é que o serviço de streaming tem ajudado a combater a pirataria. 62,4% dos entrevistados confessaram que já consumiram conteúdo pirata, mas 81,6% reduziram após o uso de streaming.

A TV a cabo continua presente na casa de 65,6%, que mantêm a assinatura, principalmente, por gostar de canais (46,8%) e de séries e filmes (20,9%) específicos.

82,6% dos entrevistados possuem algum serviço de streaming e o Netflix é o mais conhecido (92,2%) e também o que possui a maior adesão (85,1%). O Spotify assume a segunda posição nas assinaturas (33%), seguido por Google Play (18,3%), Telecine Play (16,5%) e Deezer (14,2%).

50% dos entrevistados que usam streaming possuem entre dois e quatro assinaturas diferentes e 46,6% apenas um. Entre os conteúdos mais consumidos, séries ocupam o primeiro lugar, com 59,4%, seguido por filmes (28,8%), e vídeo clips (3,4%).

Dentre os 17,4% que não assinam nenhum tipo de streaming, 41,4% têm interesse em adquirir, principalmente, por “adorar” ver filmes (26,6%) e pela flexibilidade em poder ouvir/assistir vários conteúdos onde e quando desejar (23%). Ainda entre os que não têm nenhuma assinatura, 30,2% não conheciam o serviço antes da nossa entrevista.

Confira o infográfico!

2018-04-12T18:23:20+00:00